Do 23 Apr, 19:30 – Mateus, o Filme

 0,00

23 April
Aanvang 19:30
Doors: 19:00
Conversa com a diretora e o ator após o filme!
Portugees gesproken, Engels ondertiteling.
Preço: doação é bem-vinda!

Op voorraad

Beschrijving

75 minutos/minutes
Portuguese spoken, English subtitling.

Um documentário de busca que faz do encontro a possibilidade de um cinema que entende o acaso como força criativa. Que desestabiliza as mise-èn-scènes preconcebidas e que faz o filme ‘com’ o outro e não sobre o outro.

Sinopse
Dois palhaços. Uma estrada. Muitos encontros. Jurema e Bandeira sobem num fusca 78 a caminho da zona da mata norte pernambucana, em busca dos seus antepassados, os palhaços da cultura popular: os Mateus, dos grupos de cavalo-marinho, companheiros da brincadeira de fazer sorrir.
Quantos Mateus se escondem no corte da cana? Como vivem esses palhaços? O que sonham? Porque o sorriso?
Com um cenário móvel carregado no capô do fusca, Jurema e Bandeira transformam esses encontros em cenas reais de mundos imaginários. Ou seriam mundos imaginários em cenas reais? Se o palhaço é porta-voz da imaginação, o Mateus é representante da fantasia. Ambos constroem seus mundos particulares, e fazer esses mundos se encontrarem é trazer a fantasia para a realidade.
Com o objetivo de resgatar a história particular desses homens e a dimensão artística desse personagem, o filme “Mateus” faz do encontro muito mais do que um registro.

ATRAVESSAMENTO
Uma ação político-artística brasileira de denúncia ao fascismo vigente
Atravessar o Atlântico. Atravessar as linguagens. Atravessar as artes, os corpos, os olhos. Deslizar por entre mãos e abraços, tendo a arte como fio condutor de uma reflexão sobre o mundo que vivemos e que queremos. O Brasil é o nosso foco, mas sabemos que a contemporaneidade exige o rompimento dos muros e das barreiras que nos definem. Em tempos onde o fascismo, a intransigência, surgem como elementos cotidianos, faz-se necessário criar redes, rearticular ações que gerem encontros. Atravessamentos.
Em abril de 2020, o Coletivo Parêa leva à Portugal e Holanda essa ação político-artística, composta por um filme e um espetáculo, para falar de Brasil e mundo.

Martelada, o monólogo, e Mateus, o filme, como fios condutores de pensamento e troca; mãos e redes. Filme e espetáculo unindo cultura popular, palhaçaria, estrada e vida mambembe, a nos apontar caminhos de reinvenção.

Com Claudio Ferrario e Odília Nunes
Participação: Martelo, Mocó, Seu Luiz e Zé de Bibi
Direção: Dea Ferraz
Produção Executiva: Fernanda Ferrario e Dida Maia
Direção de Fotografia: Leo Crivellare e Marcelo Lacerda
Som Direto: Rafa Travassos
Produção de Set: Laura Dornelles
Assistente de Câmera: Monstrão
Elétrica/maquinária: Fiapo
Montagem: Bia Baggio
Produtora Associada: Alumia Conteúdo
Produtoras: Janela Projetos e Parêa Filmes

Sinds1987